Porque é que ninguém está seguro contra o cibercrime

Porque é que ninguém está seguro contra o cibercrime

Ao longo dos últimos anos muito se tem falado sobre o cibercrime, e sobre os ataques que podem ser realizados a empresas (ou particulares) de qualquer setor de atividade ou tamanho.

Embora as empresas da área financeira sejam as preferidas dos cibercriminosos, esta é uma guerra que quanto mais pessoas tiverem conhecimento, menor será o impacto financeiro nos negócios.

A evolução da internet e do cibercrime

A verdade é que o crime online existe desde que a internet começou a ser divulgada, contudo, nos primórdios da mesma os ataques virtuais, o roubo de informação ou mesmo a criação de malwares que têm como intuito danificar programas nos computadores não era aquilo que é nos dias que correm.

A partir do momento em que os criminosos virtuais perceberam que era relativamente simples conseguirem extorquir dinheiro de pessoas que nunca tinham visto na vida, simplesmente porque tinham na sua posse dados sensíveis, tudo começou a evoluir cada vez mais rapidamente.

A grande maioria dos cibercriminosos usam ferramentas de APT (Advanced Persistent Threat – um conjunto de técnicas de ciber espionagem) e malware (software malicioso) personalizado juntamente com software legítimo concebidos sobretudo para roubar dinheiro.

O pior é que o desconhecimento faz com que milhares de pessoas façam diariamente o download destes softwares maliciosos para os seus computadores, e no caso de os mesmos estarem ligados a uma rede, é comum que a mesma fique infetada.

Contrariamente ao que acontecia antigamente em que o mais importante era negar qualquer tipo de ataque, nos dias que correm é importante aprender com todos os ataques, mesmo com os que acontecem aos outros.

O paradigma de defesa cibernética está a mudar e, ao contrário do que se tem passado até aqui – a ocultação – é muito importante divulgar todas as lacunas de modo a que se possa aprender constantemente com os erros, não os voltando a cometer.

Não esconder o que se passa é fundamental para aumentar o conhecimento das empresas e autoridades de segurança. Isto porque, quanto mais bem preparadas estiverem as vítimas, mais difícil é para os atacantes conseguirem levar a bom porto os ataques virtuais.

Dicas práticas para evitar um cibercrime

Embora não haja nenhum método 100% fiável no combate do cibercrime, a verdade é que é possível tentar prevenir e dificultar o trabalho dos cibercriminosos em hackear os computadores e as redes informáticas.

Algumas dicas simples que pode seguir são:

  • Implantação de novas tecnologias de segurança da informação para prevenir a ação de criminosos digitais;
  • Invista em segurança da informação: é uma ação preventiva para proteger dados, arquivos e informações que estão em algum dispositivo ou até mesmo na cloud;
  • Faça o inventário digital – Mapeie e faça uma listagem detalhada de todos os equipamentos em uso para monitorização e verificação de possíveis ameaças.
  • Crie senhas seguras: opte por senhas mais complexas com números, letras e caracteres especiais e não use a mesma chave de segurança para aceder a várias contas virtuais.
  • Tenha cuidado com e-mails e sites;
  • Instale um antivírus de confiança e ative a firewall.

Como vê, se seguir estas práticas pode dificultar um pouco a vida aos criminosos virtuais. Contudo, lembre-se sempre que nunca ninguém está a salvo de um cibercrime.